Ciro: Vou quebrar o cartel dos bancos, pesadamente, no 1º dia
26/08/2018 22:39 em Notícias
 
 

Candidato à Presidência da República pelo PDT realizou discurso em São Paulo

 
O candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, voltou a criticar o setor bancário neste domingo em campanha na capital paulista. Reiterando o discurso em favor do aumento da concorrência no setor, o presidenciável afirmou que, uma vez eleito, vai envolver imediatamente Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil em uma estratégia de aumento da competitividade, com a prática de juros menores. "Eu vou quebrar o cartel dos bancos. Vou quebrar pesadamente, já no primeiro dia", disse Ciro, que fez uma visita a uma feira livre na região de Itaquera.
 
Ciro acrescentou que seu plano para reduzir juros e estimular o consumo vai contemplar ainda medidas como a regulamentação de Fintechs e a já anunciada retirada do nome dos brasileiros da lista do Serviço de Proteção ao Crédito. Ele voltou a defender este último projeto, batizado de Nome Limpo, reforçando que "não se trata de dar dinheiro", mas sim de renegociar dívidas de forma a destravar a economia. 
 
O candidato do PDT também subiu o tom das críticas aos adversários. Ele criticou o tucano Geraldo Alckmin, o emedebista Henrique Meirelles e presidenciável do Novo, João Amoêdo. O MDB foi quem tomou a maior parte dos ataques. Questionado se aceitaria um eventual apoio da sigla do presidente Michel Temer caso seja eleito, Ciro revidou: "Nem a pau, Juvenal. Meu governo vai botar pra correr ladrão e bandido. Botar pra correr até a porta da cadeia."
 
Ao afirmar que o decorrer da campanha deixará evidente qual projeto cada candidato representa, Ciro reforçou a associação direta de Alckmin e Meirelles com o governo do Temer. "A turma do Temer está dividida entre Meirelles e o Alckmin. Então, se você é favorável às ideias do Temer, à proposta do Temer, vota na turma do Temer", disse Ciro. "Eu lutei muito contra o Temer, contra essas reformas antipovo, antipobre, e estou fazendo propostas populares", afirmou.
 
Sem citar diretamente o nome de Amoêdo, Ciro fez referência ao patrimônio declarado de R$ 425 milhões do candidato do Novo. "Tem candidato nesta eleição que tem R$ 425 milhões, quase meio bilhão de reais, e vive com mais da metade disso em renda fixa. E vive falando mal do Estado. Então, o camarada faz com que todo cidadão desempregado no Brasil hoje pague o juro com que ele paga seu jatinho. "
 

Redes

 
A campanha do candidato do PDT deve iniciar nos próximos dias uma ação nas redes sociais, na qual dirá que outros candidatos copiam suas propostas. A ideia é usar, por exemplo, a informação de que o PT postou e depois apagou de suas redes uma proposta semelhante à do pedetista, que defende a renegociação de dívidas para limpar o nome dos cidadãos no Serviço de Proteção ao Crédito. A campanha também dirá que Ciro é defensor há décadas da ideia de criar um Imposto sobre Valor Agregado (IVA), que também permeia o discurso do tucano Geraldo Alckmin. Um slogan que será difundido nas redes fará um trocadilho convidando o eleitor a seguir as redes sociais de Ciro: "Faça como os outros candidatos. Siga o Ciro".
 
Cobertura Total Eleições 2018 - Capão Web Rádio
 
OFERECIMENTO:
 
 
 
 
 
 
COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!