Grupos de idosos celebram festa junina em Capão da Canoa
20/07/2018 19:14 em Notícias
 
 

As festividades foram organizadas pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, vinculado à Secretaria de Assistência e Inclusão Social 

 
O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) dos Idosos realizou duas festas juninas no município. Na terça-feira (17), a festa aconteceu em Arroio Teixeira e incluiu os grupos de Capão Novo, Curumim e do bairro Arco-Íris. Na quinta-feira (19), aconteceu com os grupos do Cras Santa Luzia. A realização foi da Prefeitura de Capão da Canoa, através da Secretaria de Assistência e Inclusão Social. 
 
Durante os eventos foram desenvolvidas apresentações culturais por parte dos integrantes dos grupos do SCFV e foram servidas uma diversidade de comidas típicas. As referidas celebrações foram organizadas com intuito de prevenir as situações de risco social, ampliar trocas culturais e de vivências, fortalecer vínculos e incentivar a socialização e a convivência comunitária. 
 
O Prefeito de Capão da Canoa, Amauri Magnus Germano, afirma que o objetivo da gestão é sempre atender a comunidade. “Estar junto das pessoas com tanta experiência nos enche de energia e de aprendizado, por isso valorizamos muito momentos como esse”, observa. 
 
A Secretária Municipal de Assistência e Inclusão Social, Maria Elisete Machado Germano, expressou a sua satisfação pelo ótimo trabalho realizado pela equipe multidisciplinar que coordena o SCFV. 
 
O Coordenador do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Idosos, Lucas Gomes, elogiou o comprometimento dos integrantes. “Temos que agradecer a todos, que não faltam aos encontros e o envolvimento deles em todas as atividades”, destaca. 
 
 

O que é o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Idosos? 

 
Segundo a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais (Resolução CNAS n.° 109/2009), o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Idosos é um Serviço da Proteção Social Básica que tem por foco o desenvolvimento de atividades que contribuam no processo de envelhecimento saudável, no desenvolvimento da autonomia e de sociabilidades, no fortalecimento dos vínculos familiares e do convívio comunitário e na prevenção de situações de risco social. 
 
A intervenção social deve estar pautada nas características, interesses e demandas dessa faixa etária e considerar que a vivência em grupo, as experimentações artísticas, culturais, esportivas e de lazer e a valorização das experiências vividas constituem formas privilegiadas de expressão, interação e proteção social. Devem incluir vivências que valorizam suas experiências e que estimulem e potencializem a condição de escolher e decidir.
 
 
 
 
 
COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!